Agricultura sustentável

Benefícios econômicos:

Melhoria da eficiência e produtividade na atividade agrícola;
Otimização do uso dos recursos naturais nas localidades da empresa, por exemplo, água e energia;
Redução das perdas antes e depois da colheita.

Benefícios ambientais:

Manejo direcionado de pragas, doenças e plantas daninhas;
Melhoria da produtividade nas terras agriculturáveis, sem prejudicar as áreas de preservação ambiental;
Proteção e melhoria dos ecossistemas viáveis.

Benefícios sociais:

Contribuir para o fornecimento de produtos agrícolas diversos e de alta qualidade o ano todo;
Melhorar a qualidade de vida e a subsistência dos agricultores, o que, por sua vez, beneficia também as comunidades;
Melhorar a saúde ambiental e a higiene e, assim, a qualidade e os padrões de vida das pessoas.

Aplicação segura

Benefícios econômicos:

Existem muitas técnicas para a aplicação de produtos fitossanitários. Há, entretanto, alguns princípios básicos comuns à maioria das situações, que permitem aos usuários a obtenção dos melhores resultados sem, contudo, oferecer risco para eles próprios, outras pessoas e para o meio ambiente.
Antes de tudo, é fundamental que todas as pessoas responsáveis pela aplicação estejam perfeitamente preparadas e informadas sobre os procedimentos corretos de manuseio de equipamentos e aplicação dos produtos. Além disso, devem ser observardas as seguintes orientações:
Não desentupa os bicos do equipamento de aplicação com a boca; desmonte-os e limpe-os com água; a utilização de equipamentos de proteção individual (EPIs) é fundamental para o trabalho de aplicação de defensivos agrícolas. Há EPIs adequados para cada tipo de aplicação de produtos fitossanitários;
Mantenha afastadas todas as pessoas não envolvidas no trabalho, bem como os animais domésticos;
Não permita que crianças, idosos, pessoas doentes ou gestantes manuseiem produtos fitossanitários, ou, de alguma maneira, fiquem expostos a eles;
Leia e siga corretamente as instruções do rótulo, da bula e do folheto complementar; peça orientação quando tiver dúvidas sobre a dose recomendada, técnica mais apropriada, equipamentos de proteção, épocas de aplicação e intervalo de segurança (período de carência);
Observe sempre as condições do tempo; não trabalhe com ventos fortes, que podem ocasionar o arrastamento (deriva) do produto para outros locais; a deriva pode causar maus resultados no controle esperado e pode tornar-se perigosa se o produto desviado atingir o aplicador, outras culturas, fontes de água, animais ou habitações. A pulverização deve ser efetuada sempre a favor do vento;
Mantenha as pessoas não envolvidas e os animais afastados das áreas recém-tratadas;
Procure sempre adotar práticas de manejo integrado buscando a orientação de um engenheiro agrônomo.

Advertências

Devolução:

• não permita que menores de idade trabalhem na aplicação destes produtos;
• mantenha afastados das áreas de onde se encontram crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas;
• use equipamentos de proteção individual (EPIs);
• não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto;
• não desentupa bicos, orifícios ou válvulas com a boca;
• primeiros socorros e demais informações, vide o rótulo, a bula e a receita;
• evite a contaminação ambiental, preserve a natureza;
• não utilize equipamentos de aplicação com vazamentos;
• não lave as embalagens ou equipamentos em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água;
• aplique somente as doses recomendadas;
• as embalagens vazias devem ser enxaguadas três vezes e a calda restante deve ser acrescentada à preparação a ser pulverizada (tríplice lavagem);
• descarte corretamente as embalagens e restos do produto;
• não reutilize as embalagens vazias;
• periculosidade ambiental e demais informações, vide o rótulo, a bula e a receita;
• leia antentamente o rótulo, a bula e o receituário agronômico, procure alguém caso não haja alguma dúvida;
• consulte sempre um engenheiro agrônomo, pois se trata de um produto para uso agrícola com venda sob receituário agronômico.

Proteja sua plantação de pragas e doenças.

A divisão de proteção de cultivos propicia aos agricultores os melhores produtos para proteção da lavoura, desde herbicidas, inseticidas e fungicidas, oferecendo tecnologia e soluções inovadoras, visando o aumento de produtividade e melhor qualidade do produto final.

- Author name here

Manejo integrado

O emprego de defensivos agrícolas para o manejo de insetos, fungos e plantas daninhas, deve sempre ocorrer com a prerrogativa de não oferecer efeitos secundários ao meio ambiente. Por essa razão, torna-se cada vez mais frequente a busca de agricultores por ferramentas que auxiliem no manejo de pragas, mas que não interfiram de forma inadequada nas condições naturais.

Uma das principais ferramentas é o manejo integrado, um plano de medidas para o controle de insetos, doenças ou plantas invasoras que se apoia em diversos mecanismos, inclusive a utilização otimizada de recursos biológicos e de produtos fitossanitários.

Atuando de forma responsável, a Jacobs Citrus apoia a prática do MIP, agregada à rotação de culturas, à seleção de variedades de plantas adaptadas a cada situação particular e à utilização de técnicas de cultivo seletivas, que tem sido empregada com bons resultados em diversas regiões do País.

Mas o MIP atua para manter fatores limitantes, como pragas e doenças, abaixo do limiar do dano econômico. Ultrapassando esta linha, dada à severidade de doenças, pragas ou daninhas, há que se verificar o possível prejuízo do agricultor e analisar a possibilidade de se optar pela utilização seletiva de defensivos agrícolas.

Destinação final de embalagens vazias

Quando devolver as embalagens vazias?


O agricultor tem o prazo de 1 ano depois de compra para devolver as embalagens vazias. Se remanescer o produto na embalagem, é facultada sua devolução em até 6 meses após o término do prazo de validade.